quinta-feira, 30 de abril de 2009

consideração a propósito de nada

partem barcos todos os dias dos meus olhos , mas eu fico. presa à âncora do medo, fico sempre.

2 comentários:

  1. gosto.
    esperamos mais

    uma vénia profunda aos poetas
    am

    ResponderEliminar
  2. antónio, bom encontrá-lo também por aqui. obrigada.

    ResponderEliminar